Início

Amor e bondade para todos, um artigo de Ichitami Shikanai, 7º Dan, Brasil

Devido à propagação global do coronavírus, o número de pessoas desempregadas em todos os países aumentou e a situação é particularmente preocupante.

Tenho muito respeito pelas opiniões do Professor Yamanaka da Universidade de Kyoto e do Professor Yamamoto da Universidade de Nagasaki, conforme relatado pelo NHK News. O professor Yamanaka disse: “Esta é uma longa guerra, então, em vez de uma maneira de nos livrarmos dela, devemos encontrar uma maneira de viver com ela”. Eu me concentrei na opinião do professor Yamamoto. Como professor que viajou pelo mundo ensinando sobre prevenção de doenças infecciosas, ele disse aos habitantes locais que pensassem 10 anos à frente e mudassem seu modo de vida como medida de precaução. Ele disse que talvez não se possa eliminar o vírus [em um horizonte próximo], mas tenhamos que tentar viver com ele.

Ouvi de ambos que precisamos enfrentar o vírus com o espírito do Aikido. Fiquei muito encorajado quando Kisshomaru Segundo Doshu disse uma vez: “Gostaria que você esquecesse esse debate, ganhe ou perca”.

A necessidade de construir um novo modo de vida está começando a mudar muitas indústrias ao redor do mundo. Mesmo no Aikido, talvez surjam novas técnicas ou maneiras de praticar. Mas, ouvir as palavras dos dois professores me convence ainda mais de que o mundo está nos mostrando como o Aikido é necessário.

Como o Fundador estudou na Omoto-kyo sob a orientação de Onisaburo Deguchi, existe um princípio chamado “Amor e Bondade para Todos”. Na minha opinião, refere-se ao chamado do professor Yamamoto para coexistir com o vírus. Aiki, simbiose. Essas duas palavras vêm à minha mente. O Brasil é um país com grande disparidade social, e os trabalhadores que vivem do salário do dia não podem cumprir as ordens de permanência em casa.

Os especialistas japoneses em doenças infecciosas, obtendo a cooperação dos cidadãos, implementaram medidas para o sucesso que outros países não podem imitar. Não posso deixar de sentir que o belo arquipélago verde do Japão e os japoneses que lá vivem têm uma missão especial para o mundo nesta era de mudança.

Como Kisshomaru Ueshiba, o Segundo Doshu, disse muitas vezes, vamos esperar o dia em que possamos praticar.

(N. T. Após a II Guerra Mundial a prática de artes marciais foi proibida pelos norte-americanos e, além disso, houve momentos em que não se podia praticar o Aikido na Academia Central porque muitas famílias desabrigadas foram acolhidas naquele local)

Veja abaixo a publicação original no site da Aikikai no Facebook: